Sólido e eficiente o Liverpool afunda Moyes e o United

O domínio do Liverpool foi evidente durante todo o jogo, mas ainda mais visível durante o zero a zero, que foi até os trinta três do primeiro tempo, antes do United morrer em campo como tem se tornado rotina ao sair atrás do placar. Mais posse de bola, movimentação e verticalidade no jogo proposto por Brendan Rodgers.
 
Que não deixou Sterlling tão a esquerda do 4-1-4-1/4-3-3 como acontece costumeiramente. O winger apareceu muito pelo meio, ora deixando a vista até um 4-3-1-2, marcando de perto da saída de Fellaini que não conseguiu levar a bola até Rooney ou Van Persie, avançados do 4-4-1-1 de Moyes. Mata e Januzaj abertos também foram pouco efetivos, bem marcados não conseguiram desembaraçar o United.
 
Os donos da casa levaram perigo pela primeira vez já nos acréscimos do primeiro tempo, no chute de Rooney defendido por Mignolet. Prova da solidez defensiva dos reeds, coordenada por Gerrard que recua para fazer a saída de três com Skrtel e Agger. O meio campista que também apareceu a frente, no pênalti cometido por Rafael – que já tinha amarelo e merecia ser expulso – que converteu e abriu o placar.
 
Quem esperou do United reação, se enganou. Quando o time do Moyes tentava esboça-lá, Flanagan foi derrubado por Jones em um duvidoso pênal, marcado e convertido por Gerrard, logo no primeiro minuto do segundo tempo. Mata e Januzaj seguiam sem incisividade nas pontas, Rooney sem dinamismo no meio e Van Persie isolado na frente. O impecável Liverpool marcou palmo a palmo, não deu espaços e nem oportunidade.
 
Com Coutinho, Rodgers fundamentou a ideia de um 4-3-1-2. O brasileiro foi aparecendo pelo centro e pela ponta alternadamente. Com um Sturridge endiabrado no jogo, fazendo diagonais com velocidade e descidas que confundiam a defesa. Foi em uma dessas que o winger invadiu pelo centro e pegou a defesa do United aberta, usou da malandragem para cair na hora certa em um pênalti inexistente que levou Vidic expulso e teve Gerrard acertando a trave e perdendo a chance do inédito “hat-trick”.
 
No burraco que ficou na defesa do United, Suárez achou espaço para entrar e tocar no canto de De Gea finalizando mais uma tarde infeliz do time de Moyes. O Liverpool que domina e impressiona segue na rota do titulo, já o United que tem uma decisão contra o Olympiacos quarta segue mal das pernas no Inglês e cada vez mais massacrando a carreira de Moyes.

Sterlling apareceu ao centro, anulou a saída de Fellaini e bagunçou o sistema do United no Liverpool que partiu para o 4-3-1-2 em vários momentos. 
Facebook Comments

Raí Monteiro

Jornalista, editor e doente por futebol. Sempre aberto a um bom debate e um copo de cerveja.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *