Os movimentos do jogão entre Borussia Dortmund e Real Madrid

Os primeiros quinze minutos do jogo no Signal Iduna Park foram duríssimos para o time de Zidane. Porque a pressão do Borussia foi alta, intensa e muito sufocante. Concentração máxima para executar o modelo de jogo muito bem treinado pelo jovem e excelente Thomas Tuchel, mais um que ficou do “lado” de Guardiola na revolução pela qual o futebol passou nos últimos anos. 
A pressão do Borussia no começo do jogo em Dortmund – Reprodução: FS1
Sem conseguir trocar três passes graças ao ímpeto do adversário, o Real Madrid encontrou um contra-ataque em uma das poucas saídas em velocidade, justamente quando era amplamente dominado. Terminou no gol de Cristiano Ronaldo que caiu como uma tempestade de água fria no time alemão. 

Golpe sentido e dificuldade para retomar o protagonismo que tinha até poucos minutos antes. Tempo para o time de Zidane se organizar melhor defensivamente e controlar a bola em alguns momentos. No 4-2-3-1 que o técnico vem usando com James por dentro, Cristiano e Bale foram bem aplicados sem bola. Intensos na marcação, aplicados no preenchimento dos espaços e ataque a posse adversária. 
Real Madrid trabalhando sem bola. Cristiano e Bale ocupando os lados, James recuando para se alinhar a Modric, – Reprodução: FS1
Mais congelado em relação ao início, o Borussia teve um menor volume apesar chegadas dos laterais, o apoio de Castro, a boa saída de Weigl e a incisividade dos pontas. Dembélé e Guerreiro foram muito bem marcados por Carvajal e Danilo. Gotze buscou o centro demais e pouco dividiu na armação com seu companheiro de meio. Aubamayang ficou isolado. Ironicamente como estava quando o rebote de Navas bateu em Varane e sobrou para o gabonês empurrasse pro gol. 
O 4-1-4-1/4-3-3 do Borussia Dortmund no primeiro tempo. Gotze centralizou demais e muitas vezes “disfarçou” este desenho – Reprodução: FS1

Gol que desenhou outro jogo para um segundo tempo, mas do outro lado o Madrid chegou bem mais seguro. Compacto, mas conseguindo sair mais e ser mais móvel no terço final. Com destaques individuais e alguma engrenagem sem bola, mas ainda sem jogar necessariamente bem. James mais ativo e Modric soberbo na saída, ocasionaram chances a todo trio BBC. Porém, quem marcou foi Varane novamente na bola alta. Por cima, os brancos conseguiram sete dos 22 gols na temporada – quinto de um zagueiro. 
Apareceram os bancos. Gotze deu lugar a Schurrle, trazendo Guerreiro para dentro e deixando o desenho do 4-3-3 mais evidente. O que também aconteceu no Madrid, quando James deu lugar a Kovacic, que se alinhou a Modric e deixou Kroos mais atrás – como na era Ancelotti. Naturalmente, o Borussia retomou protagonismo e empurrou o time de Zidane para seu próprio campo. Contra-ataques mais bem aproveitados poderia tornar as 13 conclusões com quatro acertos em um placar folgado e mais tranquilo. Liquidando o jogo. 
Piorou quando entrou Pulisic, que ao contrário de Dembélé bem marcado por Danilo na esquerda, fez um inferno sobre o brasileiro pelo lado direito. Incisivo, intenso e muito inteligente com a bola, ocasionou mais situações e conseguiu mais soluções que Tchuell, já com Emre Mor no centro do campo na vaga de Guerreiro, poderia imaginar. Da ponta com Pulisic, saiu o passe para décima conclusão certa em 20 do Borussia Dortmund. O gol de André Schurrle num chutaço em diagonal. 
Panorama final do jogo em Dortmund – Reprodução: Tactical Pad
Fim acelerado para um verdadeiro jogaço. Com uma intensidade e um nível de disputa incomum na fase de grupos, Borussia Dortmund e Real Madrid entregaram, cada um em sua proposta de jogo, aquilo que era esperado. A intensa forma de comandar alternando posições e procurando triangulações dos amarelos e o contra-ataque veloz e efetivo, com transição de bola no chão com os meias artistas dos brancos. Movimentos de times com um largo horizonte na temporada europeia.

Facebook Comments

Raí Monteiro

Jornalista, editor e doente por futebol. Sempre aberto a um bom debate e um copo de cerveja.

2 comentários em “Os movimentos do jogão entre Borussia Dortmund e Real Madrid

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *